Notícias

Em Patos, músico cego se emociona ao fazer apelo para tentar conseguir uma nova sanfona

0
????????????????????????????????????

Morando na comunidade rural Sítio Campo Comprido, distante 12 quilômetros da cidade de Patos, o músico José da Silva Barbosa, de 32 anos, vive uma vida simples ao lado da sua esposa Maria da Paz e da filha Dulce Maria, de 2 anos.

José da Silva perdeu a visão por completo. Ficou cego e buscou nos estudos e na música uma forma de seguir a vida e seus desafios cotidianos. Logo na infância, José começou a apresentar problemas de visão, fez cirurgia e conseguiu enxergar por alguns anos, mas depois perdeu a visão completamente.

Aos 8 anos de idade, mesmo tendo origem em uma família muito humilde, José expressou ao pai o desejo de ter uma sanfona. O pai fez esforços, mas só conseguiu comprar um teclado. Apesar de José não ter se agradado muito do instrumento musical, foi com ele que começou a praticar música de forma autodidata. Vários anos depois, o pai conseguiu comprar uma sanfona usada e José começou a procurar aprender a tocar e este instrumento está com ele até hoje.

José da Silva e a sanfona

Fazendo consertos na sanfona, zelando pelo instrumento que teve aulas para aprender a tocar, José começou participar de eventos festivos com amigos e colegas de escola, mas a sanfona tem falhado no som e já dá sinais de desafino como quem diz “não dá mais”.

José da Silva é estudante da Escola Especial Irmã Benigna, em Patos. Ele dá aulas de violão e teclados para crianças da comunidade Sítio Campo Comprido e faz curso de aperfeiçoamento pela Universidade Federal de Campina Grande, Campus Patos (UFCG/Patos). O músico recebe um salário mínimo por meio do Benefício de Prestação Continuada (BPC), do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS). É com esse dinheiro que ele sobrevive com a esposa e a filha.

O sanfoneiro sonha em ser um músico reconhecido e disse que não desiste dos seus sonhos, mas precisa de uma sanfona melhor ou quem sabe até nova. O instrumento é caro para a realidade econômica da família. Diante disso, José está fazendo um apelo para que alguém, em alguma parte do Estado ou mesmo do país, atenda seu desejo.

José da Silva pode ser contatado pelo telefone (83) 9 8159 0067. A amiga Regina Coelho, que reside em Patos, também disponibilizou seu telefone de contato para ajudar na causa. (83) 99679 2239.

Edvaldo

Justiça decreta prisão preventiva de homem que espancou procuradora

Previous article

Ouro Velho: prefeito anuncia abertura de processo licitatório para construção de adutora em comunidades rurais

Next article

Veja também

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

More in Notícias