DestaquesPolicial

Justiça manda soltar mãe acusada de matar a própria filha no DF

0

A Justiça do Distrito Federal mandou soltar Laryssa Yasmin Pires, 21 anos, acusada de matar a filha, Júlia Felix de Moraes, 2 anos. O caso ocorreu em fevereiro de 2020 na Colônia Agrícola de Samambaia e comoveu o Distrito Federal. A menina morreu por asfixia e levou dois golpes de faca no tórax.

De acordo com a decisão assinada pelo desembargador Demetrius Gomes Cavalcanti, há inconsistências entre os depoimentos prestados por Laryssa e pelo pai da criança e as provas técnicas produzidas por peritos. “Sendo assim, o aprofundamento nas investigações se mostra necessário, a fim de que os fatos sejam melhor esclarecidos, na busca da verdade real”, frisou o magistrado.

Laryssa, que estava detida na Penitenciária Feminina do DF desde fevereiro deste ano, usará tornozeleira eletrônica e deverá cumprir uma série de medidas cautelares, como a proibição de sair do Distrito Federal sem autorização e a permanência em casa entre 20h e 7h de segunda a sexta-feira, e nos fins de semana em tempo integral.

Relembre o caso
O crime contra Júlia Felix ocorreu em 13 de fevereiro de 2020. Segundo as investigações conduzidas pela 12ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Centro), Yasmin teria se irritado com o choro da criança durante a madrugada e asfixiado a menina. Depois, ela a esfaqueou duas vezes no tórax.

Em seguida, Yasmin voltou ao quarto e tentou agredir o pai de Júlia, um jovem de 25 anos, com golpes de faca. Ele sofreu um corte no rosto.

Edvaldo

Prefeito Éden recebe comenda do Corpo de Bombeiros Militar da Paraíba

Previous article

Em Monteiro: Artistas do canal Comédia Monteirense vendem rifa para cobrir despesas de acidente. Assista á entrevista;

Next article

Veja também

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

More in Destaques