DESTAQUESNotícias

Homem é condenado a mais de 42 anos de prisão por matar esposa a facadas em BH

Um homem de 40 anos foi condenado a 42 anos e dois meses de prisão pelos crimes de feminicídio e tentativa de homicídio, em um julgamento realizado nesta quinta (3), no 1º Tribunal do Júri de Belo Horizonte. Em março de 2019 ele matou a mulher, de 39 anos, a facadas no bairro Paulo VI, na região Nordeste da capital.

Além de dar 19 facadas na esposa, o acusado também tentou matar o cunhado e ferir a sogra.

A condenação foi decidida por um conselho de sentença composto por três mulheres e quatro homens e a pena decidida pelo juiz Leonardo Vieira Rocha Damasceno.

O júri começou por volta das 9h50 e pela manhã foram ouvidos a mãe e o irmão da vítima, que sobreviveu após as agressões. A mãe, que estava no local do crime junto com a neta, disse que nunca tinha visto o casal brigando e que eles pareciam ter um relacionamento saudável. O cunhado do réu afirmou que, quando chegou, viu que a irmã estava sendo esfaqueada. Ao tentar separar a briga, foi golpeado na barriga, mas conseguiu sair para pedir socorro.

Em seguida, o réu contou a versão dele e declarou que não tinha intenção de matar a mulher e que se lembra de ter dado apenas o primeiro golpe de faca nela.

Ainda segundo o TJMG, o crime aconteceu depois de uma discussão entre o casal. A mulher teria se queixado de que o marido deixou de ampará-la quando ela sofreu uma queda, enquanto eles caminhavam juntos pela rua, momentos antes. Durante a briga, o autor estava embriagado. Ele também tentou se matar com golpes de faca no pescoço e na barriga, mas foi socorrido.

Segundo a denúncia feita pelo Ministério Público, ao atingir a vítima com quem era casado há quatro anos, “o réu praticou o crime por motivo fútil e de modo cruel, e surpreendeu a vítima com os golpes, o que dificultou sua defesa. Além disso, o delito foi cometido porque se tratava de pessoa do sexo feminino em situação de violência doméstica, o que caracteriza o feminicídio e, ainda, ocorreu na presença da mãe e filha da vítima”

Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: