DESTAQUESNotícias

Chuvas constantes aumentam a importância do combate ao mosquito aedes aegipty

Com a chegada do inverno e com as constantes chuvas que caem na cidade e na zona rural, a Secretaria de Saúde alerta a população para o combate ao Aedes aegypti, mosquito responsável pela transmissão de dengue, chikungunya e zika vírus. De acordo com os dados epidemiológicos houve redução significativa dos registros destas doenças entre 2017 e 2018, mas é preciso redobrar a vigilância no período chuvoso, quando aumentam os criadouros do mosquito.

Para a diretora da Vigilância em Saúde, Silvana Silva, a redução de casos é importante, porém com a chegada das chuvas a estabilidade pode desaparecer caso a comunidade não fique alerta. “O ciclo de vida do vetor desde a fase de larva até a fase adulta é de sete dias, por isso, há necessidade de manter a vigilância semanal nos locais de trabalho, escolas e também nas residências”, pontua.

 

 Quais são os criadouros do Aedes aegypti?

Para sua reprodução, o mosquito utiliza água limpa parada, encontrada em diversos locais. Estes criadouros podem ser móveis, desde potes, latas, brinquedos deixados em locais que eventualmente possam receber água, pneus, regadores, baldes, pratos de planta, ou criadouros fixos, como caixas d´água, calhas e ralos.

Para os criadouros móveis, basta sua retirada de locais descobertos. Já para criadouros fixos, é preciso verificar se a caixa d´água está 100% fechada, as calhas limpas, e nos ralos é necessária a adição de cloro, água sanitária ou sal grosso, a cada 3 dias, ou a colocação de telas, evitando os custos da utilização de produtos e o possível esquecimento.

A Secretaria de Saúde salienta ainda a importância de se lavar bem, com escova ou palha de aço, as laterais interiores das caixas d’água, pois os ovos da fêmea do transmissor são depositados nas paredes do criadouro, próximos à superfície da água, mas não diretamente sobre o líquido, por isso os ovos podem ainda permanecer grudados.

“É de suma importância que a única coisa que seja proliferada seja a informação. Todos devem repassar estes cuidados para vizinhos e amigos para que todas as pessoas lembrem de fazer o mesmo”, completa a Secretária de Saúde, Paula Oliveira.

Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: